Associação Brasileira dos Jornalistas

Seja um associado da ABJ. Há 12 anos lutando pelos jornalistas

A Crise da TV a Cabo e a Ascensão do Streaming no Brasil

Nos últimos anos, o consumo de televisão no Brasil tem passado por uma transformação significativa. A migração dos telespectadores da TV a cabo para as plataformas de streaming é uma tendência crescente que tem impactado profundamente o mercado audiovisual. Esse movimento reflete a busca por maior flexibilidade e personalização no consumo de conteúdo, características predominantes dos serviços de streaming.

GloboNews e a Crise de Audiência

A GloboNews, um dos principais canais de notícias da TV por assinatura no Brasil, está enfrentando uma grave crise de audiência. Em um mês, o canal perdeu 38% de sua audiência, caindo de 0,13 ponto em maio para 0,08 em junho de 2024. Essa queda significativa é um reflexo direto da migração dos espectadores para plataformas digitais que oferecem uma gama mais diversificada de conteúdos sob demanda.

Além da GloboNews, outros canais da TV aberta também sofrem com a queda de audiência. O programa Fantástico, da TV Globo, registrou um recorde negativo com uma média de 14,4 pontos na Grande São Paulo, o menor índice de 2024 e o terceiro pior dos últimos quatro anos. Esses números destacam a crescente preferência dos espectadores por conteúdos online, que oferecem conveniência e variedade.

Queda da TV por Assinatura

Os dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) revelam uma diminuição drástica no número de assinantes de TV por assinatura. Desde 2014, quase metade dos assinantes abandonou o serviço, resultando em uma perda de 9,5 milhões de clientes. Em fevereiro de 2024, a TV por assinatura representava apenas 8,1% do mercado de consumo de vídeos no Brasil, enquanto os serviços de streaming alcançaram 30,7%.

Comparação com o Streaming

A ascensão dos serviços de streaming, como Netflix, Amazon Prime Video, Disney+, e Globoplay, é um dos principais fatores por trás da queda da TV por assinatura. Esses serviços oferecem uma vasta biblioteca de conteúdo, incluindo séries, filmes, documentários e programas originais, que podem ser assistidos a qualquer momento e em qualquer dispositivo com acesso à internet.

Os dados mostram que o consumo de vídeos sob demanda tem aumentado significativamente, superando a TV por assinatura. Essa mudança de hábito é impulsionada por fatores como:

1. Flexibilidade e Personalização: Os serviços de streaming permitem que os espectadores assistam ao conteúdo de sua escolha no momento que desejarem, sem a necessidade de seguir a programação fixa da TV a cabo.
2. Custo-Benefício: Muitos consumidores percebem que pagar por um serviço de streaming oferece mais valor em termos de quantidade e qualidade de conteúdo em comparação com os pacotes de TV por assinatura.
3. Acesso a Conteúdo Exclusivo: As plataformas de streaming estão investindo pesadamente em produções originais e exclusivas, atraindo ainda mais espectadores.

O Futuro da Indústria de TV

A tendência indica que a TV por assinatura continuará a enfrentar desafios à medida que o streaming se torna a forma predominante de consumo de mídia. Para se manterem relevantes, os provedores de TV a cabo podem precisar adaptar suas estratégias, possivelmente integrando serviços de streaming em seus pacotes ou oferecendo conteúdos exclusivos que não estejam disponíveis nas plataformas digitais.

A transformação no consumo de mídia está redefinindo o mercado, e os players da indústria precisam inovar para acompanhar as mudanças nas preferências dos consumidores. O foco em flexibilidade, personalização e qualidade do conteúdo será essencial para conquistar e manter a audiência no futuro.

FOTO: Logomarcas de empresas de streaming

FONTE: Agência de Notícias ABJ – Associação Brasileira dos Jornalistas

( Reprodução autorizada mediante citação da fonte: Agência de Notícias ABJ – Associação Brasileira dos Jornalistas )