Associação Brasileira dos Jornalistas

Seja um associado da ABJ. Há 12 anos lutando pelos jornalistas

Aumento de presença dos EUA no Pacífico força outras nações a ‘escolher um lado’, afirma governo chinês

Os Estados Unidos não podem ser um obstáculo ‘à paz e estabilidade regionais’, disse o Ministério da Defesa do país asiático.

Os EUA estão aumentando a sua presença militar na região do Pacífico, em uma tentativa de vincular os vizinhos de Pequim à máquina de guerra norte-americana, disse um importante general chinês.

O ministro da Defesa chinês, Dong Jun, já havia conversado com o secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, nas margens do Diálogo de Shangri-La, em Singapura, sobre as pressões militares na Ásia-Pacífico. Agora, foi a vez do tenente-general Jing Jianfeng, vice-chefe do Departamento de Estado-Maior Conjunto da Comissão Militar Central da China, dar o alerta.

“O verdadeiro motivo é convergir vários pequenos círculos em um grande círculo que é uma versão Ásia-Pacífico da Organização do Tratado do Atlântico Norte [OTAN], para manter a hegemonia norte-americana”, disse Jianfeng em comunicado na cúpula de segurança em Singapura.

“Os EUA estão reforçando a sua presença militar para forçar outros países a escolherem um lado e avançando na expansão da OTAN para leste”, disse Jing, acrescentando que tais manobras criam o caos e “ligam os países regionais à máquina de guerra norte-americana”.

Ele também chamou os EUA “do maior desafio à paz e estabilidade regionais”.

Jing disse que a estratégia de Washington no Indo-Pacífico visa “trazer a divisão, provocar o confronto e minar a estabilidade”.

O discurso de Jing veio em resposta à declaração do secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, de que a guerra com a China não era iminente nem inevitável. Jing acusou os EUA de procurarem uma aliança semelhante à OTAN na Ásia.

Os EUA procuraram recentemente aprofundar a cooperação com todos os possíveis aliados na região Ásia-Pacífico para apoiar os seus próprios interesses e conter a China. Junto com a Austrália e o Reino Unido, os Estados Unidos formaram a aliança político-militar AUKUS — sob a qual estão expandindo sua frota de submarinos com propulsão nuclear.

FONTE:

https://www.brasil247.com/mundo/aumento-de-presenca-dos-eua-no-pacifico-forca-outras-nacoes-a-escolher-um-lado-afirma-governo-chines