Associação Brasileira dos Jornalistas

Seja um associado da ABJ. Há 12 anos lutando pelos jornalistas

China reduz compra de soja dos EUA e amplia negócios com o Brasil

Importações do Brasil aumentaram 81%, para 3,02 milhões de toneladas, mais da metade do total importado.

PEQUIM (Reuters) – As importações chinesas de soja dos Estados Unidos caíram pela metade em março em relação ao mesmo período do ano anterior e as exportações de milho também despencaram, já que os compradores preferiram suprimentos mais competitivos da grande safra do Brasil, segundo dados divulgados neste sábado.

Os fornecedores norte-americanos enfrentam uma concorrência acirrada pelas vendas globais de exportação da América do Sul, que registrou colheitas abundantes e oferece preços mais competitivos.

A China importou 2,18 milhões de toneladas métricas de soja dos EUA em março, de acordo com a Administração Geral de Alfândega.

Suas importações do Brasil aumentaram 81%, para 3,02 milhões de toneladas, mais da metade do total importado durante o mês.

O total de importações em março caiu para uma mínima em quatro anos de 5,54 milhões de toneladas, de acordo com dados da alfândega, uma vez que os preços altos e as margens ruins dos suínos desencorajaram as compras para ração.

O Ministério da Agricultura da China disse na sexta-feira que sua crescente preferência pelos suprimentos brasileiros dependia dos preços de mercado.

“Os compradores de soja da China incluem tanto empresas financiadas pela China quanto muitas empresas financiadas por estrangeiros. A origem das compras das empresas é totalmente independente”, disse Chen Bangxun, diretor de planejamento de desenvolvimento do ministério, em uma coletiva de imprensa.

“A China é o maior importador de soja do mundo e mantém boas relações comerciais com todos os países exportadores de soja”, disse ele.

No período de janeiro a março, os embarques chineses de soja dos EUA caíram 50% em relação ao mesmo período do ano anterior, para 7,14 milhões de toneladas.

Os embarques totais do Brasil foram de 9,99 milhões de toneladas, um aumento de 155% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Isso eleva a participação total do Brasil no mercado durante o primeiro trimestre para 54%, em comparação com os 38% dos EUA, de acordo com cálculos da Reuters.

O Brasil é o maior exportador de soja do mundo, seguido pelos Estados Unidos, e sua participação na China, que compra mais de 60% da soja embarcada em todo o mundo, tem se expandido no último ano.

MILHO

As importações de milho do Brasil pela China aumentaram 72%, para 1,18 milhão de toneladas no mês passado, quase todas as remessas totais de 1,71 milhão de toneladas em março.

Os embarques dos EUA caíram 78%, para 109.685 toneladas.

FOTO: Lula e Xi Jinping em Pequim – 14/04/2023 (Foto: Ricardo Stuckert/Distribuição via REUTERS)

FONTE

https://www.brasil247.com/agro/china-reduz-compra-de-soja-dos-eua-e-amplia-negocios-com-o-brasil