Associação Brasileira dos Jornalistas

capa14anos

Dilma é eleita Mulher Economista de 2023 e revolta a mídia que patrocinou o golpe de estado de 2016

Ex-presidente foi premiada por sua contribuição ao desenvolvimento econômico brasileiro, interrompido pela Lava Jato e pela conspiração golpista.

A ex-presidente Dilma Rousseff, hoje presidente do banco dos BRICS, foi nomeada Mulher Economista de 2023 pelo sistema Cofecon/Corecons, que congrega os conselhos federal e regional de economistas. Esta nomeação ocorreu no sábado, 9 de dezembro.

Atualmente, Rousseff ocupa a presidência do Novo Banco de Desenvolvimento (NDB), com sede em Xangai, China, desde março deste ano. A ex-presidente foi indicada para liderar o NDB em março deste ano, com um mandato que se estende até 2025. Sua nomeação como Mulher Economista de 2023 pelo sistema Cofecon/Corecons destaca sua trajetória e contribuições no campo da economia.

Apesar do reconhecimento, Dilma foi atacada tanto pela Folha de S. Paulo, como pelo Estado de S. Paulo, dois jornais que apoiaram o golpe de estado de 2016, que tiveram como objetivo executar um choque neoliberal na economia, que trouxe de volta a fome e a pobreza ao País. Os dois jornais atribuíram a Dilma a recessão de 2015 e 2016, que foi provocada pela Lava Jato, que teve início em 2014, pela movimentação golpista, que se iniciou em seguida, e pelo governo de Michel Temer, uma vez que Dilma deixou a presidência no dia 12 de maio de 2016 e, obviamente, não pode ser responsabilizada pela recessão daquele ano.

FONTE:

https://www.brasil247.com/economia/dilma-e-eleita-mulher-economista-de-2023-e-revolta-a-midia-que-patrocinou-o-golpe-de-estado-de-2016-xyw4v088