Associação Brasileira dos Jornalistas

capa14anos

‘Essequibo é uma área tomada dos venezuelanos pelos ingleses’, diz Altman

Jornalista esclarece que a reivindicação da Venezuela sobre a região remonta ao século 19 e não é uma invenção de Nicolás Maduro, mas sim um impasse histórico e jurídico.

Durante participação na TV 247, o jornalista Breno Altman abordou a questão da reivindicação da Venezuela sobre a região de Essequibo, atualmente parte do território da Guiana. Altman esclareceu que essa reivindicação não é recente e nem uma invenção do governo de Nicolás Maduro, mas sim uma disputa histórica com raízes no século 19.

“Essequibo é uma área tomada pelos ingleses”, afirmou Altman. “A Venezuela reivindica Essequibo há muitos anos, e isso foi sendo protelado nas Cortes internacionais para que se chegasse a uma decisão”.

O jornalista destacou que a questão está intrinsecamente ligada ao processo de colonização na América do Sul, especificamente durante o período colonial no século 19. Quando a Guiana, então colônia inglesa, alcançou independência, a região de Essequibo se tornou um ponto de impasse jurídico internacional.

“É uma disputa com caráter diplomático. Nunca tivemos um confronto militar ou ação militar da Venezuela a este respeito”, esclareceu Altman. “Há uma série de acordos e tratados que foram sendo assinados e adiando o problema.”

Altman também mencionou a recente iniciativa do governo de Nicolás Maduro em fortalecer sua posição em relação a essa reivindicação, convocando um referendo consultivo para buscar apoio popular. Ele enfatizou que esse referendo não determina a posição final do governo, mas é uma tentativa de reforçar a postura venezuelana sobre o assunto.

“Quem olha para a imprensa corporativa acha que o Maduro inventou essa reivindicação nas últimas semanas”, criticou Altman, destacando a importância de compreender a história e a complexidade dessa disputa territorial.

FONTE:

https://www.brasil247.com/entrevistas/essequibo-e-uma-area-tomada-dos-venezuelanos-pelos-ingleses-diz-altman