Associação Brasileira dos Jornalistas

Seja um associado da ABJ. Há 12 anos lutando pelos jornalistas

Esta civilização é profundamente antinatural

Não há nada natural nisso. O jeito que as coisas são. O jeito que estamos vivendo. Se essa fosse a maneira natural e saudável para a sociedade humana existir, não seriam necessárias montanhas de propaganda para mantê-la funcionando.

Sem grandes quantidades de narrativas mentais sendo alimentadas a nós por pessoas no poder, nunca ocorreria a ninguém que é uma ideia boa ou normal se comprometer com guerras de agressão do outro lado do planeta, ou apoiar genocídios, ou militarizar globalmente com centenas de postos militares avançados ao redor do mundo, ou promover sistemas que permitem que algumas pessoas tenham muito mais enquanto outras têm muito pouco, ou destruir a biosfera da qual dependemos para sobreviver em prol dos lucros dos acionistas. Nunca nos ocorreria aceitar essas coisas se não estivéssemos vivendo nossas vidas saturados em uma barragem ininterrupta de narrativas explicando que deveríamos aceitá-las.

POR CAITLIN JOHNSTONE

Vivemos assim durante toda a nossa vida. Por meio de manipulação psicológica em massa, nossas mentes são distorcidas em formas bizarras e não naturais para garantir que pensaremos, falaremos, agiremos, trabalharemos, gastaremos e votaremos de maneiras que nunca faríamos de outra forma, tudo para manter as rodas dessa distopia bizarra e não natural girando. Se os poderosos não controlassem as narrativas dominantes desta civilização, estaríamos vivendo em um mundo muito diferente daquele em que vivemos hoje.

A narrativa é como os humanos tendem a se meter em problemas. As histórias de pensamento acreditadas em nossas mentes são o que nos leva a odiar, abusar, prejudicar e matar nossos semelhantes. Elas são o que nos leva a um estado de ansiedade, mesmo em momentos em que nossos corpos estão completamente seguros e todas as nossas necessidades materiais estão sendo atendidas. Elas são o que convenceram os humanos a marchar e lutar em guerras e cometer atrocidades ao longo dos tempos. A maior parte do sofrimento humano surge, em última análise, de histórias de pensamento acreditadas.

Mas histórias de pensamento acreditadas são o que moldam esta civilização. A única razão pela qual o poder existe onde existe, por que as nações e suas fronteiras existem como existem, por que o dinheiro opera da maneira que opera, por que as leis são escritas e obedecidas, é porque todos nós concordamos em acreditar em um monte de narrativas inventadas dizendo que essas coisas são verdadeiras. Amanhã, todos os americanos poderiam concordar que Taylor Swift é a ditadora suprema dos Estados Unidos e que as moedas de cobre são a única forma de dinheiro com algum valor, e se pessoas suficientes acreditassem nessas narrativas, essas narrativas se tornariam realidade.

Esse é o poder da narrativa, e é por isso que pessoas poderosas colocam tanta energia para aproveitá-la. Por meio do poder da narrativa, podemos ser convencidos a consentir com coisas tão absurdas quanto fornecedores de armas usando sua riqueza para fazer lobby por guerras e militarismo, o que lhes dá mais riqueza que eles podem gastar em mais lobby. Ou trabalhar quarenta horas por semana fazendo nosso chefe ganhar muito mais dinheiro do que ganhamos em uma empresa que está matando nosso ecossistema só para que possamos dar nossos salários a algum senhorio para viver em um prédio no planeta moribundo em que nascemos, apenas porque o chefe e o senhorio tiveram sorte de possuir a empresa e o prédio. Ou líderes mundiais brandindo armas do armagedom um para o outro.

Essa civilização retrógrada e insana só parece normal para nós porque foi deliberadamente normalizada ao longo de nossas vidas por meio de um cuidadoso controle narrativo pelas pessoas que se beneficiam dela. A narrativa governa nossas vidas.

Sem nenhuma narrativa acreditada na sua cabeça, há apenas um ser pacífico com o que é, e o corpo animal humano cuidando de suas poucas necessidades animais humanas. Adicione um monte de narrativa acreditada e então, de repente, você tem um eu, outros, desejos, agendas, inimigos, posição social, objetivos, inadequação, estresse, um passado doloroso e um futuro assustador.

É possível para o organismo humano viver sem narrativas acreditadas na mudança de percepção comumente conhecida como iluminação espiritual, e é possível para os humanos como um todo abandonar as narrativas acreditadas que estão sendo impostas a nós pelos poderosos da mesma forma. E assim como a iluminação traz consigo a percepção de que a velha maneira de perceber era na verdade uma maneira não natural de operar, despertar das narrativas dominantes de nossos dias nos permitirá mudar para uma maneira muito mais natural de existir uns com os outros e com nosso ecossistema neste planeta.

Você pode chamar isso de uma meta elevada e inatingível se quiser, mas para mim estou falando apenas da única adaptação que tem alguma chance de afastar nossa espécie da aniquilação. Toda espécie atinge uma junção de adaptação ou extinção em algum ponto de sua existência, e estamos chegando à nossa agora mesmo. Ou transcenderemos nosso relacionamento doentio com a narrativa, ou nos exterminaremos por meio de guerra nuclear ou destruição ambiental.

Todos os sinais que vejo agora sugerem que temos a capacidade de seguir qualquer caminho.

Foto por Tdorante10 via Wikimedia Commons

FONTE: https://www.caitlinjohnst.one/p/this-civilization-is-deeply-unnatural