Associação Brasileira dos Jornalistas

Seja um associado da ABJ. Há 12 anos lutando pelos jornalistas

Investigação de Salomão “levanta a tampa do esgoto” da Lava Jato, diz Kakay

“Há indicativos, apontados com precisão pelo ministro Salomão, do cometimento de corrupção passiva, corrupção privilegiada, peculato e prevaricação”, destaca o advogado.

Advogado criminalista, Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, elogia em artigo publicado nesta sexta-feira (19) no Poder 360 o relatório da correição da Lava Jato feita pelo Corregedor Nacional de Justiça, Luís Felipe Salomão, que determinou na segunda-feira (15) o afastamento dos desembargadores Eduardo Thompson Flores e Loraci Flores de Lima, do TRF-4, e do juiz Danilo Pereira Júnior, titular da 13ª Vara Federal de Curitiba, e sua antecessora, Gabriela Hardt – o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) reverteu na terça-feira (16) o afastamento de Pereira Júnior e Hardt.

Para Kakay, Salomão conseguiu mostrar “os abusos que denunciamos há anos” em relação à Lava Jato. “O relatório que foi elaborado para dar suporte à correção feita pelo CNJ na 13ª Vara de Curitiba é arrasador. A apuração confirmou que o ex-magistrado Sergio Moro, o ex-procurador Deltan e a juíza Gabriela Hardt agiram em conluio para desviar R$ 2,5 bilhões provenientes da Lava Jato para criar uma fundação privada. (…) Os 3 atuaram junto com outros procuradores da República, com auxílio de agentes públicos norte-americanos e gerentes da Petrobras, para desviar R$ 2.567.756.592,09, que seriam destinados ao Estado brasileiro. Além de documentos, foram ouvidas mais de 10 pessoas. A abordagem do relatório é sob o prisma criminal”.

O advogado destaca, ainda, que Salomão apontou “com técnica e precisão” o “cometimento de vários tipos penais como corrupção passiva, corrupção privilegiada, peculato e prevaricação” por parte dos agentes envolvidos na Lava Jato. “Na realidade, o que está sendo desvendado e colocado ao público é aquilo que venho denunciando há anos: a Lava Jato foi uma operação que tinha um projeto de poder. Para tanto, uniu-se a grupos estrangeiros, contou com o apoio da grande mídia, instrumentalizou parte do Poder Judiciário e do Ministério Público e corrompeu o sistema de Justiça”.

Salomão, segundo Kakay, enfrenta “toda uma estrutura montada dentro do próprio Poder Judiciário” com “independência, competência, determinação e coragem”. “Ao indicar a ‘gestão caótica’ feita pelos heróis da Lava Jato, a investigação levanta a tampa do esgoto”.

FONTE:

https://www.brasil247.com/brasil/investigacao-de-salomao-levanta-a-tampa-do-esgoto-da-lava-jato-diz-kakay