Associação Brasileira dos Jornalistas

Seja um associado da ABJ. Há 12 anos lutando pelos jornalistas

Lula quis fazer fala que doesse em Netanyahu e chamasse atenção

O colunista do UOL Kennedy Alencar afirmou durante o programa Análise da Notícia que a declaração de Lula comparando os ataques de Israel a faixa de Gaza ao Holocausto foram intencionais, e não um improviso.

Lula quis fazer uma fala que doesse em Netanyahu e chamasse atenção. Kennedy Alencar

Lula afirmou que o que está acontecendo na Faixa de Gaza só aconteceu anteriormente na humanidade quando Hitler decidiu matar judeus e, em Israel, a fala não foi bem recebida. O chanceler israelense Israel Katz classificou Lula como persona non grata no país e disse que Lula não era bem-vindo no país até que se desculpasse e retirasse o que disse.

Para Kennedy, apesar de a fala de Lula ter sido uma gafe, o presidente queria provocar um resultado e tinha um objetivo bem claro com sua fala.

Não foi uma coisa impensada. (…) essa declaração desagrada Netanyahu e Lula sabe disso. Ele é presidente de um país e as relações entre países têm que levar em conta as palavras que um presidente mede ou não em seus pronunciamentos. Lula queria fazer uma fala que doesse em Netanyahu e chamasse atenção para a guerra e o atual momento da guerra, porque o exército de Israel mandou que os palestinos fossem para o sul, onde estariam em segurança, e agora Israel ameaça atacar o local. Kennedy Alencar

Apesar de um claro objetivo em denunciar o genocídio que está acontecendo na Faixa de Gaza, Kennedy avaliou que Lula errou, independente do objetivo atingido ou não.

Lula errou duas vezes. Primeiro quando fala que isso não aconteceu em nenhum outro momento, até porque já aconteceu e há outros genocídios na história da humanidade. O genocídio nazista tem o nome de Holocausto e tem características muitos específicas, e por isso Lula erra pela segunda vez. Quando Hitler chegou ao poder em 1933 ele foi implementando em fases um plano de extermínio e morte dos judeus, e não cabe comparar o que está acontecendo em gaza com o Holocausto especificamente. Kennedy Alencar

O colunista do UOL também afirmou que Lula conseguiu chamar atenção para o genocídio que está acontecendo em Gaza, com quase 30 mil mortos e quase 70 mil feridos, mas também acabou permitindo que Netanyahu se vitimizasse e tirasse o foco dos ataques de Israel.

Ao fazer isso, Lula permite a Netanyahu tirar o foco das mortes e se vitimizar. Também permite a Bolsonaro e seus fascistas pedirem um impeachment que não tem sustentação política e jurídica nenhuma diante da fala do Lula. A fala do Lula acaba, em uma semana que o foco deveria estar mais na condenação ao ataque que Netanyahu ameaça fazer e nas coisas que Bolsonaro vai sofrer com os efeitos das investigações aproximando Bolsonaro da cadeia, produzindo uma cortina de fumaça. Kennedy Alencar

Por fim, Kennedy reiterou as consequências negativas da fala do presidente, mesmo que a comunidade internacional tenha se posicionado contra os possíveis ataques de Israel no sul da Faixa de Gaza.

A intenção foi fazer uma fala que doesse em Netanyahu e chamar a atenção para o caso. Como resultado, ele chama a atenção para o caso, mas também ajuda Netanyahu e Bolsonaro a tirarem o foco da agenda de problemas que ferem muito mais Bolsonaro e Netanyahu. Kennedy Alencar

FONTE:

https://noticias.uol.com.br/colunas/kennedy-alencar/2024/02/20/lula-quis-fazer-fala-que-doesse-em-netanyahu-e-chamasse-atencao.htm