Associação Brasileira dos Jornalistas

Seja um associado da ABJ. Há 12 anos lutando pelos jornalistas

Musk antecipa golpes de Estado contra a democracia com Trump eleito nos EUA

‘Musk pretende explorar petróleo, minério e o meio ambiente na América do Sul. Ele atuará desmedidamente como aliado de Trump’, diz o colunista César Fonseca.

No Brasil, com Lula, a liberdade, para Musk, inexiste – é inimiga – pois o titular do Planalto não se sujeitou aos seus caprichos de romper com o tríduo republicano, atacando o judiciário; mas, na Argentina, por exemplo, com o fascista Javier Milei, na Casa Rosada, pode a liberdade ser a aliada da exploração total do país, amiga imprescindível, dado que Milei/Trump/Musk comporiam relações carnais etc.

Desse modo, o nacionalismo lulista não merece ser defendido em seus pressupostos éticos e morais, se Musk aposta no oposto para fazer valer seus interesses.

O lado de Musk, no Brasil, é o de Bolsonaro, que quer a liberdade para si para inventar argumentos – fake News – que coadunam com os interesses bolsonaristas-trumpistas-muskianos fascistas.

A mentira – veiculada nas redes sociais em que Musk dita as regras – vira arma política.

Dispõe do poder político e econômico quem, segundo Musk, possui os meios de comunicação em suas mãos.

Por meio dele, constrói a “sua” realidade à qual todos têm que se submeter.

ANTECEDENTE HISTÓRICO

Musk é repeteco histórico de empresários americanos, como o bilionário Percival Farquhar (1865-1954) que, apoiado por Washington, atuou em confronto com as leis brasileiras, na área de mineração, até que Getúlio Vargas o mandou catar cavaco, expulsando-o do Brasil.

Comprava apoio político no Congresso da Velha República para obter as concessões para exploração ferroviária e mineral no país continental, estimulado, ao máximo, pela Casa Branca e banqueiros ingleses.

A exemplo de Farquhar, os vastos interesses de Musk, na exploração da riqueza petrolífera, mineral, ambiental e da Amazônia, lançam suas expectativas para dominar o amplo espectro da transição energética na qual atuará desmedidamente, se Trump ganhar eleições nos Estados Unidos.

Ao mesmo tempo, é claro, Musk cuidará de fortalecer a direita brasileira e sul-americana, bombando o neoliberalismo bolsonarista pauloguedeseano.

A democracia, no cenário hipotético de dominação trumpiana, que a vê e a entende, ideologicamente, como estorvo, vai para o espaço, para que a sede de dominação das riquezas nacionais seja infinita sob dominação ultraneoliberal, conduzida pelo Banco Central Independente, independente, diga-se, do governo, mas, totalmente, dependente dos credores.

FONTE:

https://www.brasil247.com/blog/musk-antecipa-golpes-de-estado-contra-a-democracia-com-trump-eleito-nos-eua