Associação Brasileira dos Jornalistas

Seja um associado da ABJ. Há 12 anos lutando pelos jornalistas (2)
Não vai ter Bolsonaro em 2022, diz Datafolha, ao apontar rejeição recorde do presidente

Não vai ter Bolsonaro em 2022, diz Datafolha, ao apontar rejeição recorde do presidente

Jair Bolsonaro é o presidente mais rejeitado desde a redemocratização do País, afirma o Datafolha –que foi ao baú para confrontar números atuais com os pretéritos.

Segundo o instituto, 59% dos brasileiros não votam hoje de jeito nenhum a favor da sua reeleição. É a maior rejeição de uma série histórica desde 1989.

Na prática, o Datafolha garante que não vai ter Bolsonaro em 2022.

Lula, líder nas pesquisas, tem 38% de rejeição.

O Datafolha, que é um braço de banco, afirma que Bolsonaro ainda pode reverter a rejeição e que Lula tem sua rejeição consolidada, mas reconhece que o petista está muito “tranquilo e confortável” na disputa de 2022.

Pico de rejeição dos eleitos:

  • 1989 – Fernando Collor (PRN) – 11% a 30% (de junho a novembro de 1989)
  • 1994 – Fernando Henrique Cardoso (PSDB) – 12% a 17% (maio a setembro de 1994)
  • 1998 – Fernando Henrique Cardoso (PSDB) – 25% a 21% (março a setembro de 1998)
  • 2002 – Lula (PT) – 30% a 29% (novembro de 2001 a setembro de 2002)
  • 2006 – Lula (PT) – 30% (outubro de 2005 a setembro de 2006)
  • 2010 – Dilma Rousseff (PT) – 21% a 27% (dezembro de 2009 a setembro de 2010)
  • 2014 – Dilma Rousseff (PT) – 27% a 33% (outubro de 2013 a setembro de 2014)
  • 2018 – Jair Bolsonaro (PSL) – 33% a 44% (setembro de 2017 a outubro de 2018)

Na última pesquisa do Datafolha, há um mês, aponta que Lula pode vencer já no primeiro turno –à luz da rejeição de Bolsonaro e do naufrágio da terceira via.

FONTE

Não vai ter Bolsonaro em 2022, diz Datafolha, ao apontar rejeição recorde do presidente