Associação Brasileira dos Jornalistas

Seja um associado da ABJ. Há 12 anos lutando pelos jornalistas

Ninguém se engane, estamos sob ataque

Por trás dos ataques de Elon Musk a Alexandre de Moraes e à soberania brasileira estão interesses econômicos e calculada ação da extrema direita internacional.

Elon Musk não está preocupado com a liberdade de expressão no Brasil nem com as contas dos usuários do X, cuja suspensão foi ordenada pelo ministro Alexandre de Morais. Por trás de seus ataques ao ministro e à própria soberania nacional, com ameaças de desobediência a uma ordem da Suprema Corte, estavam seus interesses econômicos e uma calculada ação da extrema direita internacional, com participação do bolsonarismo doméstico.

Na semana passada, antes ainda das postagens provocativas de Musk, a mega bolha global da extrema direita na Internet já vinha sendo excitada, a partir de fora,  por publicações sobre uma suposta “ditadura” instalada no Brasil, tendo como tiranos Morais e Lula.

Os bastidores da operação para criar o confronto mostram que não houve exagero nas afirmações de que está em curso uma orquestração transnacional para desacreditar as instituições brasileiras, criar instabilidade e agitação política, e quem sabe, evitar a condenação e prisão de Jair Bolsonaro. E, ao fim e ao cabo, bloquear a normalização pós-golpe que Lula vem conduzindo e nos lançar novamente na ribanceira política trazida pelo golpe de 2016, a Lava Jato e a era bolsonarista.

Para conferir credibilidade à fabulação de que estaria o Brasil em marcha para uma ditadura, com violação da liberdade de expressão e do devido  processo legal,  a coalizão conspirativa lançou mão do jornalista norte-americano Michael Shellemberger. Ele já viveu no Brasil e fala um português razoável. A convite do deputado Von Hatten, do Novo-RS,  foi a Porto Alegre participar de um certo Fórum da Liberdade. Na quarta-feira, dia 3, ele publicou no X o que seriam os Twitter Filles Brasil, um apito de cachorro lançado para excitar a extrema-direita. O que ele mostrou, em verdade, foi a reprodução, de uma troca de mensagens, de autenticidade duvidosa, entre funcionários da rede de Musk. Um deles (nomes tapados por tarja) diz ter sido acionado pelo STF para fornecer dados privados de titulares de algumas contas. Algo ilegal, que ele se recusou a fazer.       .

A publicação de Shellemberg  teve a parceria de dois brasileiros, os também jornalistas de extrema direita Davi Ágora e Eli Vieira.  Em poucas horas ela ganhou o mundo, foi retuitada milhares de vezes e alcançou 30 milhões de visualizações até ontem. Personalidades da extrema direita mundial se manifestaram, sempre no X, sobre a denúncia do “totalitarismo” brasileiro. Entre elas,  o líder português do Chega, André Ventura, o marqueteiro de Milei, Fernando Cerimedo, os deputados europeus de extrema direita Rob Roos (Holanda) e o espanhol Herman Tertsch, do Vox, e outros mais.

Em Porto Alegre, Von Hatten e o jornalista americano deram entrevistas juntos, para canais bolsonaristas, denunciando a ilegalidade supostamente cometida pelo ministro Alexandre, e seus atentados contra a “liberdade de expressão” dos titulares dos perfis bolsonaristas. Liberdade que usaram para difundir fake news e pregar golpe de estado.

No sábado, depois que  Musk anunciou que desobedeceria às ordens de suspensão de Alexandre de Morais,   Shellemberg postou um vídeo onde faz afirmações absurdas sobre o Brasil. Vou reproduzir só algumas delas: “Não é exagero dizer que o Brasil está à beira da ditadura nas mãos de um ministro totalitário do Supremo Tribunal Federal chamado Alexandre de Moraes.  O presidente Lula da Silva está participando desse impulso em direção ao totalitarismo. Desde que assumiu o cargo, Lula aumentou enormemente o financiamento governamental dos principais meios de comunicação, a maioria dos quais incentiva o aumento da censura. O que Lula e Moraes estão fazendo é uma violação escandalosa da Constituição do Brasil e da Declaração dos Direitos Humanos das Nações Unidas.” Em outra passagem:  “O  Supremo Tribunal Federal e o Tribunal Superior Eleitoral interferem em eleições por meio de censura. “

As outras redes sociais também foram atacadas: “Os Arquivos do Twitter também revelaram que Google, Facebook, Uber, WhatsApp e Instagram traíram o povo do Brasil. Se forem comprovados tais indícios, os executivos dessas empresas comportaram-se como covardes: forneceram ao governo brasileiro dados cadastrais pessoais e números de telefone sem ordem judicial e, portanto, violando a lei.”

No domingo, o ministro Alexandre determinou a inclusão de Musk no inquérito das milícias digitais e fixou multa diária de R$ 100 mil por descumprimento da ordem de bloqueio dos perfis criminosos.  Ontem, rejeitou o cínico pedido do X-Brasil para não ser responsabilizado judicialmente, e sim a matriz, pois a sucursal não teria comando sobre a rede X. Então, existiria no Brasil para quê? Só para recolher dinheiro?  O presidente do STF já fizera a manifestação necessária:  toda empresa que opera no Brasil tem que cumprir a Constituição.

Shellemberg, o enviado especial da extrema direita ao Brasil, em seu vídeo declarou-se politicamente moderado, e disse que até era de esquerda quando vivia no Brasil, em 1992. Que tem conversado com muitos brasileiros e deles tem ouvido que estão chocados , que têm medo de falar e que Lula “é cúmplice na criação deste clima de medo”. Recomenda aos brasileiros lutar contra a tirania. Esta postagem também foi muito retuitada, principalmente por deputados bolsonaristas como Bia Kicis, Nikolas Ferreira, Gustavo Gayer e Von Hatten.

Ontem, o senador Flavio Bolsonaro foi ao X dizer o seguinte: “se as coisas continuarem como estão, a pauta da eleição de 2026 não será saúde, educação ou segurança, a pauta será impeachment de ministro do STF”.

Então, democratas de todas as cores, não se enganem: o Brasil está sendo atacado. A democracia corre risco.

FONTE: https://www.brasil247.com/blog/ninguem-se-engane-estamos-sob-ataque