Associação Brasileira dos Jornalistas

Seja um associado da ABJ. Há 12 anos lutando pelos jornalistas

NO FRONT RUSSO

De acordo com avaliações de ambos os lados que fazem a cobertura do conflito russo-ucraniano, parece que há uma consolidação definitiva do avanço das Forças Armadas da Rússia – agora ininterrupto – no leste, sul e centro da Ucrânia.
Segundo declaração de Moscou, desde fevereiro de 2022, cerca de 500 mil militares de Kiev perderam a vida e quase todo o equipamento original, doado ou recauchutado das forças ucranianas se perdeu.
Neste sentido, numa guerra onde o lado ucraniano se encontra esgotado, as novas fronteiras da Novorossiya passaram também a receber infraestrutura definitiva de seu novo governo, o que leva a crer que haverá uma linha futura aos moldes da “terra de ninguém”, separando a Ucrânia em duas partes.
O novo anúncio de mais um pacote bilionário de ajuda ocidental não deverá ter efeito prático algum, apenas servindo como impulsionamento econômico para a indústria armamentista dos Estados Unidos.
É difícil cravar uma data para o fim da operação militar especial – ainda mais se levarmos em conta que a Rússia alcançou seu propósito econômico e geopolítico ao enfraquecer os cofres europeus e desmantelar a tal “sociedade baseada em regras” imposta pela hegenomia estadunidense. Porém, ao que tudo indica, um cessar-fogo poderá acontecer ainda neste ano.
A Ucrânia está em frangalhos. A Europa ocidental também não está longe disso.

FONTE: https://web.facebook.com/daniel.omettalspirin