Associação Brasileira dos Jornalistas

Seja um associado da ABJ. Há 12 anos lutando pelos jornalistas

Prefeito de Porto Alegre sucateou empresa de saneamento, que tem mais de 2,5 mil cargos vagos

Dmae é responsável pela manutenção do sistema de contenção de cheias da capital gaúcha, que falhou nas enchentes deste ano.

A gestão do prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo (MDB), promoveu o sucateamento do Departamento Municipal de Águas e Esgotos (Dmae), responsável pela manutenção do sistema de contenção de cheias e distribuição de água na cidade. Atualmente, a empresa está com 2.543 cargos vagos, que deveriam ter sido preenchidos por meio de concursos públicos, e acumulou nos últimos anos mais de R$ 400 milhões em caixa, dinheiro que não foi revertido em investimentos.

Melo chegou a anunciar um projeto de privatização da autarquia no início de 2023, mas voltou atrás e falou em “parceirizar” o órgão com a iniciativa privada. O sucateamento do setor de saneamento de Porto Alegre começou na administração de Nelson Marchezan (PSDB), que extinguiu o Departamento de Esgotos Pluviais (DEP). As funções do DEP foram incorporadas pelo Dmae, que não recebeu os investimentos necessários e fez com que a manutenção do sistema de contenção de cheias piorasse.

Porto Alegre conta com 23 Estações de Bombeamento de Águas Pluviais (EBAPs) que compõem o sistema de drenagem da cidade. No entanto, apenas quatro delas estavam em operação quando as águas invadiram diversos bairros da capital gaúcha, incluindo o Centro e o Aeroporto Salgado Filho.

Em entrevista à TV 247, o engenheiro Augusto Damiani, ex-diretor-geral do DEP e do Dmae, afirmou que a operação do sistema de contenção de cheias falhou, com a vedação das comportas e das Casas de Bombas não sendo feitas da maneira adequada. “Tem uma comporta que faz seis anos que tem um processo administrativo para arrumá-la. O sistema não falhou. O que falhou foi a operação. A água entrou pelo caminho de saída, que são as casas de bomba. Isso é muito grave”, afirma.

Um vídeo de Damiani falando sobre os diversos problemas nos sistemas de contenção de cheias de Porto Alegre e sobre a negligência das seguidas gestões na cidade viralizou nas redes sociais nos últimos dias. “Nada funciona. Lamentável. A drenagem de Porto Alegre está entregue, como a cidade está entregue, aos interesses comerciais, aos interesses das construtoras, e sem nenhuma preocupação com o bem-estar da cidade”, alerta o engenheiro no vídeo.

FONTE:

https://www.brasil247.com/regionais/sul/prefeito-de-porto-alegre-sucateou-empresa-de-saneamento-que-tem-mais-de-2-5-mil-cargos-vagos#google_vignette