Associação Brasileira dos Jornalistas

Seja um associado da ABJ. Há 12 anos lutando pelos jornalistas

Quaest: Caiado é o mais bem avaliado entre governadores bolsonaristas cotados para Presidência

Aprovação do governador de Goiás no próprio Estado supera com folga a obtida por Tarcísio de Freitas (SP), Ratinho Júnior (PR) e Romeu Zema (Novo).

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (União Brasil) é o melhor posicionado dentro do seu próprio Estado entre os governadores cogitados para herdar o apoio do ex-presidente Jair Bolsonaro nas eleições de 2026, para a qual o antecessor do presidente Luiz Inácio Lula da Silva está inelegível.

A aprovação de Caiado entre seus eleitores supera com folga a obtida pelos governadores de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos); Paraná, Ratinho Júnior (PSD) e Minas Gerais, Romeu Zema (Novo) em quatro pesquisas simultâneas feitas pelo Instituto Quaest e Genial Investimentos.

Há diferenças entre os levantamentos e na própria situação dos governadores. Ao contrário dos demais, Tarcísio está em seu primeiro mandato. A margem de erro no Paraná e em Goiás é de 2,9 pontos percentuais. Em São Paulo, é de 2,4 pontos percentuais e em Minas de 2,5 pontos percentuais.

Todas as entrevistas, contudo, foram feitas de 4 a 7 de abril, com o mesmo questionário, de forma presencial e com as segmentações pré-definidas com base nas proporções identificadas pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e em dados do próprio Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Todos os governadores têm alta aprovação, mas o contraste em relação ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva é relativo, e prejudica Tarcísio. O presidente conta com aprovação superior à desaprovação em São Paulo (50% a 48%) e Minas Gerais (52% a 47%). Em Goiás, há um empate virtual (49% de aprovação e 50% de rejeição) e apenas no Paraná Lula é claramente desaprovado (54% a 44%).

Há uma diferença importante em relação à eleição presidencial de 2022 no caso de São Paulo, estado em que Lula foi derrotado no segundo turno por Bolsonaro por 11 pontos percentuais. Nos demais, repete-se o padrão.

Tarcísio e Zema empatam em uma expressiva aprovação de 62% dos seus eleitores, mas ficam muito atrás de Ratinho Junior ( 79%) e principalmente de Caiado (86%). Uma pista para arriscar uma explicação para o resultado pode ser o meio como cada eleitor se informa.

No caso de Goiás, a principal fonte de informação são as redes sociais (38%, ante 34% que se informa principalmente pela televisão). No Paraná, as redes perdem por pouco ( 34% a 37%). Já em Minas Gerais e em São Paulo a televisão é claramente a principal fonte de notícias. No caso paulista, 39% a 27%. No mineiro, 36% a 30%.

Não por acaso, apenas 10% dos goianos e 14% dos paranaenses lembram de notícias negativas em relação a seus dirigentes, ante 24% dos paulistas e 25% dos mineiros.

A questão da segurança pública é um diferencial positivo de Caiado em relação aos demais. 53% dos goianos avaliam de forma positiva neste quesito a gestão do governador, ante 17% que o fazem de forma negativa.

Esta área é também uma das em que Tarcísio demonstra mais fragilidade. A avaliação positiva (33%) quase empata com a negativa (31%). O governador de São Paulo também não tem aprovação clara na área de saúde, com 32% de avaliação positiva e 32% de avaliação negativa.

Um bom resultado de Tarcísio é obtido na área de educação, em que o governador de São Paulo conta com 42% de visão positiva e 23% de negativa. Mas isso é pouco diante da acachapante aprovação de Caiado na área, com 67% de avaliação positiva e somente 8% de avaliação negativa. O governador de São Paulo obtém seu maior índice na área de infraestrutura e mobilidade urbana (49% de positivo, ante 16% de negativo).

Há um contraste entre a avaliação positiva dos governadores e a que o próprio pesquisado faz de sua situação financeira. Nos quatro Estados há mais entrevistados afirmando que pioraram as finanças pessoais nos últimos doze meses do que os que dizem estar com mais recursos em caixa ( 31% a 26% em São Paulo; 34% a 24% em Minas; 30% a 28% em Goiás e 34% a 24% no Paraná).

Tarcísio é o único dos quatro que em 2026 pode se apresentar à reeleição, o que desestimula um projeto presidencial contra Lula, que deve tentar um novo mandato. Por outro lado, São Paulo isoladamente representa um em cada cinco eleitores do país, o dobro de Minas Gerais, seis vezes mais do que Goiás e quatro vezes mais do que o Paraná. O dado regional torna Tarcísio o mais competitivo entre os quatro para uma eleição presidencial.

Ronaldo Caiado e Ratinho Júnior pertencem a partidos que têm ministérios no governo Lula, um complicador para quem pretende concentrar o eleitorado oposicionista. Zema não tem esse problema , mas está filiado a um partido minúsculo, com apenas três deputados federais e um senador.

FONTE: https://valor.globo.com/politica/noticia/2024/04/11/quaest-ronaldo-caiado-e-o-mais-bem-avaliado-entre-governadores-bolsonaristas-cotados-para-presidencia.ghtml