Associação Brasileira dos Jornalistas

Seja um associado da ABJ. Há 12 anos lutando pelos jornalistas

Sistema penitenciário brasileiro tem déficit de 166,7 mil vagas

Atualmente o país conta com 649,6 mil detentos para apenas 482,9 mil lugares disponíveis.

O atual sistema carcerário brasileiro é marcado por um déficit de 166,7 mil vagas, revelando uma disparidade preocupante entre sua capacidade e o número de detentos. Com 649,6 mil pessoas privadas de liberdade e apenas 482,9 mil lugares disponíveis, a superlotação nas prisões compromete a eficácia do processo de ressocialização, além de proporcionar o fortalecimento de facções criminosas.

Dados da Secretaria Nacional de Políticas Penais (Senappen) revelam que o déficit de vagas nas prisões brasileiras tem sido persistente desde 2003, sempre ultrapassando os 100 mil. São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro lideram as estatísticas, como informado pelo Metrópoles.

Nesse contexto, além da abordagem da superlotação, há uma crescente chamada para explorar alternativas como a “Justiça restaurativa”. Esse modelo propõe uma resolução de conflitos centrada na reparação de danos e responsabilização, afastando-se do paradigma punitivo e vingativo das prisões convencionais.

Contudo, a implementação efetiva de tais estratégias ainda permanece como um desafio a ser enfrentado, e a Senappen ainda não detalhou as medidas planejadas para reverter a superlotação e conter a influência das facções criminosas no sistema prisional.

FONTE:

https://www.brasil247.com/brasil/sistema-penitenciario-brasileiro-tem-deficit-de-166-7-mil-vagas