Associação Brasileira dos Jornalistas

Seja um associado da ABJ. Há 12 anos lutando pelos jornalistas

Terra Arrasada: O Neoliberalismo e as Mudanças Climáticas Devastam o Rio Grande do Sul

O Rio Grande do Sul, terra de tradições e costumes fortes, enfrenta um momento de profunda crise. Não bastasse a devastação causada por eventos climáticos extremos, como secas e inundações, o estado se vê ainda mais fragilizado pela ação predatória de sucessivos governos neoliberais.
.

A fúria da natureza:

As mudanças climáticas, intensificadas pela ação humana, castigam impiedosamente o Rio Grande do Sul. Secas prolongadas assolam os campos, dizimando plantações e condenando agricultores à fome e ao desespero. Inundações devastadoras inundam a capital, cidades e distritos, deixando um rastro de destruição e desamparo.

A ganância cega:

Enquanto a natureza se enfurece, os governos neoliberais se mostram incapazes e desinteressados em mitigar previamente os impactos dessa crise. Cegos pela ganância e pela ideologia do “Estado mínimo”, eles não investem em medidas de adaptação climática e proteção ambiental.

Privatização da vida:

Em nome da eficiência e da livre iniciativa, os neoliberais privatizam serviços essenciais, como água, energia e saneamento básico. Isso significa que o acesso a esses recursos vitais se torna um privilégio para poucos, enquanto a maioria da população é condenada à precariedade e à miséria, pagando mais caros pelos serviços que tem qualidade inferior.

Desmonte do Estado:

O Estado, sob o jugo neoliberal, se torna cada vez mais fraco e incapaz de cumprir seu papel de proteger os cidadãos e garantir seus direitos básicos. Serviços públicos são sucateados, a saúde se torna um luxo inacessível para muitos, e a educação se degrada, condenando as novas gerações à ignorância e à exclusão social.

Terra arrasada:

O resultado dessa combinação nefasta de eventos climáticos extremos e políticas neoliberais desastrosas é um Rio Grande do Sul arrasado. A terra, antes próspera e generosa, se torna um deserto árido e inóspito. A vida humana, antes vibrante e pulsante, se vê ameaçada pela fome, pelas doenças e pela miséria.

Um grito de alerta:

A situação do Rio Grande do Sul serve como um grito de alerta para todo o país. É preciso que despertemos para a urgente necessidade de mudar nosso modelo de desenvolvimento, abandonar o neoliberalismo predador e construir um futuro mais justo e sustentável.

Chega de devastação!

É hora de exigirmos dos nossos governantes políticas públicas que realmente protejam o meio ambiente, garantam o acesso a serviços essenciais e promovam o desenvolvimento social. Chega de discursos vazios e promessas falsas! Precisamos de ações concretas para salvar o Rio Grande do Sul e construir um futuro melhor para todos.

Juntos, podemos resistir à fúria da natureza e à ganância dos poderosos. Juntos, podemos construir um Rio Grande do Sul mais verde, mais justo e mais próspero para todos!

FONTE: Agência de noticias ABJ – Associação Brasileira dos Jornalistas 

( Reprodução autorizada mediante citação da fonte: Agência de noticias ABJ – Associação Brasileira dos Jornalistas )